Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde (RSS) em um Hospital Público: Experiência de Intervenção por Parte de uma Universidade

Maria Antonietta Leitão Zajac, Cristina Alves dos Santos Lovatte, Alexandre de Oliveira e Aguiar, Rodrigo Obata Mourino, Carlos João David, Claudia Terezinha Kniess

Resumo


Durante o processo de atendimento ao paciente são gerados efluentes e resíduos que necessitam de um gerenciamento correto, o que demanda um plano de gerenciamento de resíduos de serviços de saúde eficaz visando evitar os efeitos adversos provocados por um manejo inadequado. O objetivo deste trabalho é relatar as melhorias realizadas nos processos de gerenciamento de resíduos de serviços de saúde em um Hospital Público a partir de algumas ações realizadas como acompanhamento da rotina e o manejo interno dos resíduos gerados; da definição de ações corretivas, preventivas e melhorias no gerenciamento dos resíduos; do desenvolvimento de instrumentos de avaliação e controle, incluindo a construção de indicadores; e da atualização dos Procedimentos de Operação Padrão e do Plano de gerenciamento. A intervenção na instituição estimulou modificações no processo, com correção das não conformidades e melhorias nas etapas do manejo, com envolvimento positivo dos Gestores e Núcleo de resíduos. Entretanto, não houve contínua mensuração da quantidade de resíduos, o que se faz necessário para atingir a meta de redução. Por outro lado, houve redução nos casos de acidentes com perfurocortantes, demonstrando que as ações estabelecidas tiveram êxito e servem como grande incentivo para a contínua melhoria do processo.

Palavras-chave


Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde, Resíduos de Serviços de Saúde, Gerenciamento de Resíduos, Sistema de Gestão e Qualidade, Intervenção.

Texto completo:

PDF

Referências


Ananth, A. P., Prashanthini, V., & Visvanathan, C. (2010). Healthcare waste management in Asia. Waste Management, 30(1), 154-161.

ANVISA – AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Resolução – RDC/ANVISA nº 306, de 7 de dezembro de 2004. Dispõe sobre o Regulamento Técnico para o gerenciamento de resíduos de serviços de saúde. Brasília, 2004. Disponível em: http://www.saude.mg.gov.br/images/documentos/res_306.pdf. Acesso em 26 Ago 2016.ANVISA – AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Plano de Gerenciamento de RSS. Disponível em: www.vigilanciasanitaria.sc.gov.br/index.php/.../224-curso-pgrss-2013?...1140:pgrss...Acesso em: 26 de agosto de 2016.

Bagio, J.C.; Souza, M.T.S. Freitas, F.L.S & Campanário, P.M. (2013). O Plano de gerenciamento de resíduos de Serviços de saúde. RMS, 3(2), 4-22.

Bidone, F., R., A. (2001). Resíduos Sólidos Provenientes de Coletas Especiais. Rio de Janeiro: Rima.

BRASIL. Ministério da Saúde. ANVISA- Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Manual de gerenciamento de resíduos de serviços de saúde / Ministério da Saúde, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. –Ministério da Saúde, Brasília, DF, 2006.

BRASIL. LEI Nº 12.305, DE 2 DE AGOSTO DE 2010.

Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Brasília, 2005. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm. Acesso em: 26 Ago 2016.

Campos, F.S.P. (2015). AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE. Tese de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Administração do DINTER UNINOVE/UFMS, São Paulo, SP.

CHM. Conjunto Hospital do Mandaqui. Disponível em: http://www.hospitalmandaqui.com.br/hospital/Default.aspx. Acesso em 03.08.2016

CONAMA –CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE. RESOLUÇÃO CONAMA nº 358, de 29 de abril de 2005. Brasília, 2005. Disponível em: http://www.mma.gov.br/port/conama/legislacao/CONAMA_RES_CONS_2005_358.pdf. Acesso em: 26 Ago 2016.

Collins, J., & Hussey, R. (2005). Pesquisa em administração: um guia prático para alunos de graduação e pós-graduação. Editora: Bookman. Porto Alegre.de Moraes, L. N., da Silva, M. A., & Cerqueira, D. S. (2015). NÍVEL DE INFORMAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE FRENTE AO GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE. Revista Eletrônica Interdisciplinar, 1(13).

Garcia, L.P. & Zanetti-Ramos, B.G. (2004). Cad. Saúde Pública [online]. vol.20, n.3, pp.744-752. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-1X2004000300011&script=sci_abstract&tlng=pt Acesso em: 28 Ago 2016.

Gessner, R., Piosiadlo, M., Christina, L., Da Fonseca, R. M. G. S., & Larocca, L. M. (2013). O MANEJO DOS RESÍDUOS DOS SERVIÇOS DE SAÚDE: UM PROBLEMA A SER ENFRENTADO. Cogitare Enfermagem, 18(1). Ferreira, J.A. & Anjos, L.A. (2001). Aspectos de saúde coletiva e ocupacional associados à gestão dos resíduos sólidos municipais. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 17(3) 689-696.

Hochman, B., Nahas, F. X. , Oliveira Filho, R. S. de, & Ferreira, L. M. (2005). Desenhos de pesquisa. Acta Cirúrgica Brasileira, 20 (Supl. 2). Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/acb/v20s2/v20s2a02.pdf. Acesso em: 28 agosto, 2016.

Hossain, M. S., Santhanam, A., Norulaini, N. N., & Omar, A. M. (2011). Clinical solid waste management practices and its impact on human health and environment–A review. Waste management, 31(4), 754-766.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional de Saneamento Básico ano 2008. 2010. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/condicaodevida/pnsb2008/default.shtm

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA (2012). Diagnóstico dos Resíduos Sólidos de Serviços de Saúde. Relatório de Pesquisa. Disponível em: http://ipea.gov.br/agencia/images/stories/PDFs/relatoriopesquisa/120806_relatorio_residuos_solidos.pdf

Jena, B., & Nayak, P. L. (2014). Awareness about Bio-Medical Waste Management among Health Care Personnel of Some Important Medical Centres in Cuttack Municipal Corporation in Odisha. Middle-East Journal of Scientific Research, 21(9), 1590-1594.

Moreira, A. M. M., & Günther, W. M. R. (2013). Assessment of medical waste management at a primary health-care center in São Paulo, Brazil. Waste Management, 33(1), 162-167.

Kopp, M.P., Araúlo, C.A.F., Figeuiredo, K.F. (2013). Gestão dos resíduos sólidos hospitalares: estudos de casos em hospitais do Rio de Janeiro e São Paulo. Gestão Contemporânea, Porto Alegre, ano 10, n. 13, 71-95, jan./jun. 2013. Disponível em: http://seer2.fapa.com.br/index.php/arquivo. Acesso em 26 de agosto de 2016.

Naime, R.; Naime, I. S; Garcia, A. C. (2004). Uma abordagem sobre a gestão de resíduos de serviços de saúde. Revista Espaço para a Saúde, Londrina, 5(2), 17-27.

Oliveira, C. R. D. R., Pandolfo, A., Martins, M. S., Gomes, A. P., & Dal Moro, L. (2013). GESTÃO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE: AVALIAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS ADOTADOS NO HOSPITAL DA CIDADE DE GUAPORÉ-RS/HEALTH CARE WASTE MANAGEMENT: EVALUATION OF PROCEDURES ADOPTED IN THE HOSPITAL IN GUAPORÉ/RS. HOLOS,29(2), 251.

Patwary, M. A., O’Hare, W. T., & Sarker, M. H. (2011). Assessment of occupational and environmental safety associated with medical waste disposal in developing countries: a qualitative approach. Safety science,49(8), 1200-1207.

Ministério da Saúde, 2015 PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 285, DE 24 DE MARÇO DE 2015 Redefine o Programa de Certificação de Hospitais de Ensino (HE). Disponível em: bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2015/prt0285_24_03_2015.html. Acesso em: 15 de agosto de 2016.

Rapparini, C. & Reinhardt, E. L. (2010). Manual de implementação de acidentes com materiais perfurocortantes em serviços de saúde. Adaptado de Workbook for designing, implementing, and evaluating a sharps injury prevention program dos Centers for Disease Control and Prevention (CDC). São Paulo, Ministério do Trabalho e Emprego.

Silva, C.E. & Hoppe, A. E. (2005). Diagnóstico dos resíduos de serviços de saúde no interior do Rio Grande do Sul. Eng. sanit. ambient. 10 (2), 146-151.

Singh, A., Agarwal, A., Agarwal, V. K., Saxena, S. K., Agarwal, A. K., & Singh, H. (2014). Evaluation of bio-medical waste management practices in a tertiary care hospital of Rohilkhand region in Uttar Pradesh, India. International Journal of Medical Science and Public Health, 3(10), 1187-1191.

Sisinno, C.L.S. & Moreira, J.C. Ecoeficiência: um instrumento para redução da geração de resíduos e desperdícios em estabelecimentos de saúde. Cad. Saúde Públ., Rio de Janeiro, 21 (6): 1983-1900, nov-dez, 2005.

Souza, A. C. S., Alves, S. B., Zapata, M. R. C. G., Tipple, A. F. V., Rocha, L. O., Guimarães, J. V., & Pereira, M. S. (2015). Descarte de resíduos infectantes: informações demonstradas e ações praticadas por estudantes de enfermagem e medicina. Revista Eletrônica de Enfermagem, 17(1), 124-30.

Souza, T. C., Oliveira, C. F. D., & Sartori, H. J. F. (2015). Diagnóstico do gerenciamento de resíduos de serviços de saúde em estabelecimentos públicos de municípios que recebem Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços ecológico no Estado de Minas Gerais. Eng. sanit. ambient, 20(4), 571-580.

Taghipour, H., ASL, H. A., & Mohammadpoorasl, A. (2012). Training and Monitoring of Hospitals Staffs Concerning Proper Medical Waste Management.

Tomé, V. L. F.; Cardoso, J. S.; Luna, B. J. C.; Pereira, A. L. N. (2011) Resíduos sólidos: produção científica em periódicos on line no âmbito da saúde. Revista brasileira de informações científicas, 2(3), 11-22.

Uddin, M. N., Islam, M. R., & Yesmin, K. (2014). Knowledge on hospital waste management among senior staff nurses working in a selected medical college hospital of Bangladesh. Journal of Waste Management, 2014.

Ventura, K.S., Reis, L.F.R., Takayanagui, A.M.M. (2010). Avaliação do gerenciamento de resíduos de serviços de saúde por meio de indicadores de desempenho. Eng. Sanit. ambient.15(2), 167-176.

Vergani, A (2016). Procedimento Operacional padrão-POP Orientações para elaboração. Disponível em: https://www.toledo.pr.gov.br/.../POP%20- %20Procedimentos%20Operacionais%20Pa... Acesso em: 27 de agosto de 2016.

YIN, R. K. Estudo de Caso: Planejamento e Métodos. Porto Alegre: Bookman, 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.21902/jhmreview.v2i2.333

Apontamentos

  • Não há apontamentos.