Revisão Sistemática Contemporânea de Políticas Públicas para Saúde do Idoso

Marco Antonio Caetano Júnior, Giuliano Borges e Silva, Marco Antonio Catussi Paschoalotto

Resumo


Objetivos. Descrever as características metodológicas e assuntos abordados nos artigos acadêmicos recentes (2011-2015) que conciliam saúde do idoso e políticas públicas. Investigar as tendências de publicações para o avanço científico.

Métodos. Bases de dados: PubMed, LILACS, SciELO e Oxford Press Journals. Combinações de descritores de busca avançada: “elderly”; “public policy”; “Date: 2011-2015”. Critérios de inclusão para descrição: metodologia claramente definida, escopo geográfico de política identificável, texto disponível na íntegra ou resumo contendo informações necessárias. Os estudos selecionados foram analisados por tipo de abordagem metodológica, ano de publicação, abrangência da política e assunto relacionado à políticas públicas em três categorias (a – adequação de políticas públicas; b - regulamentação, legislação, inspeção, investimento e orçamento público; c - políticas de qualidade de vida e bem estar).

Resultados. Somando-se os resultados de busca das quatro bases dados foram obtidos 178 documentos, sendo 19 repetições e 64 identificações fora dos critérios de inclusão, totalizando 95 artigos descritos, sendo 6 em profundidade. O ano com maior quantidade de publicações foi 2013 (35%). Há um equilíbrio entre publicações qualitativas (52%) e quantitativas (48%). Foi detectado predominância de artigos nos quais o assunto provê informações para adequação de políticas (47%). A maioria das contribuições é original (71%). A abrangência geográfica nacional foi a mais estudada (43%).

Conclusões. Os estudos para a população idosa são de extrema relevância para a academia devido a necessidade de melhoria dos serviços públicos. Há uma forte tendência para pesquisas de contribuição original. É evidente a diversidade e o potencial de exploração do tema.

Palavras-chave


Políticas Públicas; Saúde do Idoso; Revisão

Texto completo:

PDF

Referências


Veras RP. Experiências e tendências internacionais de modelos de cuidado para com o idoso. Cien Saude Colet. 2012; 17(1): 231-238.

Martins JJ, Schier J, Erdmann AL. Políticas públicas de atenção à saúde do idoso: reflexão acerca da capacitação dos profissionais da saúde para o cuidado com o idoso. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2007; 10(3): 371-387.

Tsuji Y. Political Institutions and Elderly Care Policy: Comparative Politics of Long-term Care in Advanced Democracies. Soc. Sci. Jpn. Res. 2013; 16(1): 314-317.

Andrade LM, Sena EL, Pinheiro GM, Meira EC, Lira LS. Políticas públicas para pessoas idosas no Brasil: uma revisão integrativa. Ciênc. saúde coletiva. 2013; 18(12): 3543-3552.

Anderson P, Scafato E, Galluzzo L. Alcohol and older people from a public health perspective. Annalli del'Istituto Superiori di Sanità. 2012; 48(3): 232-247.

Castro AP, Guilam MC, Sousa ES, Marcondes WB. Violência na velhice: abordagens em periódicos nacionais indexados. Ciênc. saúde coletiva. 2013; 18(5): 1283-1292.

Cieto BB, Valera GG, Soares GB, Cintra RH, Vale FA. Dementia care in public health in Brazil and the world: A systematic review. Dement. Neuropsychol. 2014; 8(1).

Honório GJS, Martins HEL, Basso JF, Alvarez AM, Meirelles BS, Santos SMA. Estratégias de promoção da saúde dos idosos no Brasil: um estudo bibliométrico. Rev. enferm. UERJ. 2013; 21(1): 121-126.

Smits CHM, Van den Beld HK, Aartsen MJ, Schroots J. Aging in The Netherlands: State of the Art and Science. The Gerontologist. 2014; 54 (3): 335-343.

Moher D, Liberati A, Tetzlaff J, Altman DG. The PRISMA Group. Preferred reporting items for systematic reviews and meta-analyses: the PRISMA statement. PLoS Med. 2009; 6(7):e1000097.

Bardin L. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70; 2011.

Liu S, Yam CHK, Huang OHY, Griffiths SM. Willingness to pay for private primary care services in Hong Kong: are elderly ready to move from the public sector? Health Policy Plan. 2013; 28 (7): 717-729.

Orueta JF, Alonso-Morán E, Nuño-Solinis R., Alday-Jurado A, Gutiérrez-Fraile E, García-Álvarez A. Prevalencia de cronicidad y multimorbilidad en la población cubierta por el servicio público de teleasistencia de Euskadi: impacto en costes y calidad de la atención. Anales Sis San Navarra. 2013; 36(3): 429-440.

Moak GS. Treatment of late-life mental disorders in primary care: we can do a better job. Journal Aging & Social Policy. 2011; 23(3):274-285.

Batista MP, Almeida MH, Lancman, S. Politicas públicas para a população idosa: uma revisão com ênfase nas ações de saúde. Revista de Terapia Ocupacional (USP). 2011; 22(3): 200-207.

Nalle-Junior C, Passador CS, Iannetta O, Oliveira LR, Passador JL. Considerações sobre custo-benefício nas políticas de saúde: tratamento curativo versus o preventivo da osteoporose. Saúde e Sociedade. 2013; 22 (4): 1132-1144.

Fernández JJ, Jaime-Castillo AM. Positive or Negative Policy Feedbacks? Explaining Popular Attitudes Towards Pragmatic Pension Policy Reforms. Eur Sociol Ver. 2013; 29 (4): 803-815.

Lizana FG. Cooperación para la innovación europea en el envejecimiento activo y saludable: de la política a la acción. Gaceta Sanitaria. 2013; 27(5): 459-462.

Luna F. ‘Vulnerability’, an Interesting Concept for Public Health: The Case of Older Persons. Public Health Ethics. 2014; 7 (2): 180-194.

Mantelo-Cecilio HP, Araújo-Lopes S, Antoniassi-Baldissera VD, Carreira L. Reorganization of elderly care in a primary health care service through the Altadir method of popular planning. Invest. educ. enferm. 2013; 31(3): 480-486.

Berthé A, Berthé-Sanou L, Konaté B, Hien H, Tou F, Drabo M, et al. The elderly in sub-Saharan Africa: a vulnerable population often ignored in public policy. Sante Publique. 2013; 25(3):367-71.

Levings J, Cogswell M, Curtis CJ, Gunn J, Neiman A; Angell SY. Progress toward sodium reduction in the United States. Rev Panam Salud Publica. 2012. 32(4): 301-306.

Costa G. Las políticas de cuidados a largo plazo en Italia: un caso de inercia institucional y de dinamismo privado. Rev. argent. salud publica. 2012; 3(12): 43-46.

Rauth J, Santos ER, Pedde V. Projeto RS Amigo do Idoso: uma amizade que não se efetivou. Textos contextos (Porto Alegre). 2012; 11(1): 156-171.

Baltrunaite A, Casarico A, Profeta P. Affirmative Action and the Power of the Elderly. CESifo Economic Studies. 2014; 66(1): 148-164.

Barcia-Lehmann R. Algunas críticas al derecho común y especialmente a la regulación de las incapacidades respecto del adulto mayoren el ordenamiento jurídico chileno. RChDP. 2014; (23): 57-86.

Batista MP, Almeida MH, Lancman S. Cuidadores formais de idosos: contextualização histórica no cenário brasileiro. Rev. bras. geriatr. Gerontol. 2014; 17(4): 879-885.

Perlingeiro R. Os cuidados de saúde dos idosos entre as limitações orçamentárias e o direito a um mínimo existencial. Rev. Direito sanit. 2014; 15(1): 83-118.

Silva HS, Gutierrez BAO. Dimensões da qualidade de vida de idosos moradores de rua do município de São Paulo. Saúde e Sociedade. 2013; 22(1): 148-159.

Horie T. Kazokushugi Fukushi Rejiimu no Saihen to Jendaa Seiji. Social Science Japan Journal. 2014; 17 (1): 110-112.

Jacobsen FF. Understanding public elderly care policy in Norway: A narrative analysis of governmental White papers. J Aging Stud. 2015; 34:199-205.

Liao PA, Chang HH, Sun LC. National Health Insurance program and life satisfaction of the elderly. Aging Ment Health. 2012; 16(8):983-92.

Moss TP, Cogliandro A, Pennacchini M, Tamboni V, Persichetti P. Appearance distress and dysfunction in the elderly: international contrasts across Italy and the UK using DAS59. Aesthetic Plast Surg. 2013; 37(6):1187-93.

Hoeck S, Van Hal G. Unhealthy drinking in the Belgian elderly population: prevalence and associated characteristics. The European Journal of Public Health. 2012; 23(6): 1069-1075.

Paula FL, Cunha GM, Leite IC, Pinheiro RS, Valente JG. Readmissão e óbito de idosos com alta após internação por fratura proximal de fêmur, ocorrida nos hospitais do Sistema Único de Saúde entre os anos de 2008 e 2010, Rio de Janeiro. Rev Bras Epidemiol. 2015; 18(2): 439-453.

Silva KM, Santos SM. The nursing process in family health strategy and the care for the elderly. Texto contexto - enferm. 2015; 24(1): 105-111.

Ruelas-González MG, Pelcastre-Villafuerte BE, Reyes-Morales H. Maltrato institucional hacia el adulto mayor: percepciones del prestador de servicios de salud y de los ancianos. Salud pública Méx. 2014; 56(6): 631-637.

Kunzler MR, Rocha ES, Bombach GD, Neves D, Santos GS, Carpes FP, et al. Saúde no parque: características de praticantes de caminhada em espaços públicos de lazer. Saúde debate. 2014; 38(102): 646-653.

Knauth DR, Couto MT, Figueiredo WS. A visão dos profissionais sobre a presença e as demandas dos homens nos serviços de saúde: perspectivas para a análise da implantação da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem. Ciênc. saúde coletiva. 2012; 17(10): 2617-2626.

Louro JQ, Alves-Junior ED, Paula FL, Prata HL, Santos JJ, Vieira E. Investigando a população idosa do município de Tanguá: o perfil dos frequentadores de uma policlínica de saúde. Rev. pesqui. cuid. fundam. (Online). 2013; 5(2).

Guedes HM, Batista EA, Rosa JA, Almeida ME. O olhar do idoso sobre o atendimento em unidades básicas de saúde de Coronel Fabriciano-MG. REME rev. min. Enferm. 2012; 16(1): 75-80.

Li H, Lv C, Zhang T, Chen K, Chen C, Gai G, et al. Trajectories of age-related cognitive decline and potential associated factors of cognitive function in senior citizens of Beijing. Curr Alzheimer Res. 2014;11(8):806-16.

Kanso S, Romero DE, Leite IC, Marques A. A evitabilidade de óbitos entre idosos em São Paulo, Brasil: análise das principais causas de morte. Cad Saude Publica. 2013; 29(4): 735-748.




DOI: http://dx.doi.org/10.21902/jhmreview.v2i2.349

Apontamentos

  • Não há apontamentos.